segunda-feira, 2 de dezembro de 2013

Repercussão mundial sobre a ação dos horgs.




Fevereiro de 2016.
Um grande especialista em jogos eletrônicos comentou na imprensa americana:


“Com os Jogos Universais estamos reeditando o terror dos monstrengos do velho Doom, na época em que este jogo surgiu e virou uma tremenda febre mundial. Agora são os horgs que estão infestando o planeta, e a cada dia aparecem mais deles pelas ruas! Toda a diplomacia falha com eles, pois desta vez somos nós os “demônios bárbaros” na ação de tiro em primeira pessoa! Cidadãos reais estão sendo abatidos como animais! Este game dantesco está redefinindo drasticamente o modo como jogamos on-line e vivemos a realidade.




Os Jogos Universais não são uma brincadeira artificial. E os horgs não são virtuais. Eles não são uma simulação. Não são imaginários. Não é mais o real interagindo com o virtual. Agora é a própria virtualidade tornada realidade! Os horgs são a imersão do Inferno na vida em que vivemos. São os protagonistas do terror, enquanto andam pelas ruas escolhendo suas vítimas ocasionais, espalhando uma onda de crimes sem roteiro predefinido.




Tudo é imprevisível e trágico neste jogo maldito. Além disso, o superprograma por detrás da tecnologia XT-War permite expansões criadas pelos próprios jogadores. Com isso é possível modificar e variar os horgs sobrepondo-lhes personalizações e atributos bem específicos. A interface do jogo não somente é de acesso livre, como também é virtualizada e tem compatibilidade universal de plataformas. Qualquer um pode jogar a partir do seu PC, Mac, smartphone, tablet ou de uma Smart TV. Você pode detonar seu bairro inteiro com um simples celular e poucos botões na tela, se assim quiser. Há também versões 3D on-line compatíveis com os consoles das linhas Microsoft, Sony e Nitendo. O processamento pesado é executado inteiramente em ambiente cloud, onde o jogador dispõe dos recursos de suas ações e armazena os datalogs de desempenho dos avatares. Sobre este último aspecto, eu diria: é a ‘telemetria do Apocalipse’... Mas há um porém bem sério a considerar: os registros de máquinas e estatísticas não são rastreáveis, nem mesmo podem ser inspecionados por qualquer meio conhecido. Sabemos que até de uma webcam desligada os investigadores podem rastrear as imagens por IP. Mas algo muito poderoso está blindando os computadores dos usuários deste jogo, deixando-os invisíveis na Internet. Nenhuma técnica forense é eficaz, para desespero dos peritos atrás de pistas digitais. Se os agentes apreenderem equipamento supostamente criminoso numa busca doméstica, é certo que não vão encontrar o que mais procuram. Tanto as evidências voláteis quanto as persistentes vão desaparecer antes disso. E nenhum software de recuperação terá sucesso no resgate da informação perdida. É bem assim que, entrincheirados em suas casas, ou ousando sair às ruas portando gadgets feito armas, os jogadores anônimos e aqueles mais audazes estão dando vazão a um ímpeto de delitos que nossa civilização jamais viu igual: os horgs estão sendo empregados como gládios da morte!”.



Clique aqui para adquirir o livro

Nenhum comentário:

Postar um comentário