segunda-feira, 9 de junho de 2014

Programa passa no Teste de Turing


HAL 9000 - computador do filme "2001 Uma Odisseia no Espaço"

Embora tenha obtido êxito nos requisitos mínimos no teste, foi um dia histórico para humanos e "máquinas pensantes". Neste sábado (7), um programa de computador foi capaz de se passar por um garoto ucraniano de 13 anos, chamado Eugene Goostman. 

Programa de computador criado por dupla russa e ucraniana passou no Teste de Turing.

A façanha enganou um terço dos juízes no Teste de Turing, famosa avaliação criada pelo pioneiro da computação Alan Turing, em 1950. E esta é a primeira vez que uma máquina consegue ser aprovada no teste.

Teste de Turing

O teste que verifica se um computador é realmente inteligente recebeu o nome do matemático britânico e cientista da computação Alan Turing, e representa um marco importante na avaliação de uma IA. Para que uma máquina pretensamente inteligente consiga passar no referido teste, por exemplo, ela precisa enganar 30% dos juízes humanos em cinco minutos. A conversa é então realizada mediante chats baseados em texto (os intervenientes do programa não podem ver com quem estão trocando mensagens, nem mesmo saber se estão lidando com um ser humano real ou um computador). 

A notícia do teste coincide com o 60.º aniversário da morte de Alan Turing, ocorrida em 1954.

Alan Turing

O Evento

O teste do programa foi realizado em Londres, pela Universidade de Reading. 
Para enganar seus avaliadores, o "chatbot" Eugene Goostman, produzido pelo russo Vladimir Veselov e pelo ucraniano Eugene Demchenko, inventou que apreciava hambúrgueres, doces, e ainda que seu pai era um ginecologista.

Um chatbot é um sistema automático que responde às nossas mensagens. Algo que, entretanto, notamos logo numa conversa de que não se trata de uma pessoa real.

Embora os noticiários tenham dado ênfase ao feito do garoto fictício, ainda não é motivo de alarme. Tudo que o que realmente aconteceu foi que um programa esperto convenceu um homem de que ele também era humano, e não a evidência do surgimento de uma "singularidade", conforme vaticinou Vernor Vinge ainda para acontecer neste século.

Além do mais, o programa foi especialmente projetado para responder a perguntas sobre sua própria personalidade.

O acontecimento não deixou de receber críticas sobre suas implicações iminentes. Kevin Warwick, vice-chanceler para a Investigação na Universidade de Coventry, esteve no evento de sábado, e explicou que apesar do teste realizado ser importante e o resultado obtido ser “excitante”, há questões que devem ser discutidas: “Ter um computador que consegue levar uma pessoa a pensar que alguém, ou mesmo alguma coisa, é uma pessoa de confiança é um alerta para o cibercrime. 

Kevin Warwick

O teste de Turing é uma ferramenta importante, entre outras coisas, justamente para combater tal ameaça. Perceber online uma comunicação em tempo real deste tipo pode evitar problemas.


De qualquer maneira, e muito embora seja um chatbot esperto, "Eugene Goostman" representa uma ocorrência significativa no caminho do surgimento de uma IA verdadeiramente capaz de não apenas enganar humanos num bate-papo, mas sim de dominá-los num futuro não muito distante.


Clique aqui para adquirir o livro

Nenhum comentário:

Postar um comentário